X

Procurando Cursos Técnicos ou Cursos de Graduação?
PREENCHA O FORMULÁRIO QUE ENTRAMOS EM CONTATO COM VOCÊ!

Atendimento
Atendimento

Veja as últimas informações

09/03/2018

Entrevista com a Vice-Diretora Nadia Franca - Especial Semana da Mulher

Na Semana da Mulher, entrevistamos uma das mulheres que faz história aqui na ETCR. A professora Nádia Franca iniciou sua trajetória na ETCR assumindo o cargo de vice-diretora, coordenação de estágios e professora da escola.

 

Veja um pouco da trajetória contada pela própria Nádia:

Há quantos anos vc está na ETCR ?
Estou na ETCR desde março de 1997, data da sua abertura. Tenho o privilégio de estar acompanhando o crescimento data instituição ao longo destes 21 anos.


Conte-nos a sua trajetória dentro da escola
Foi tudo muito natural, já conhecia a fundadora, a enfermeira Maria Perlim Milioli, e além da sua amizade tinha sua confiança como profissional. Então, assumi a vice-direção além da coordenação de estágios e também como professora. E ao longo dos anos fui assumindo diferentes desafios como coordenadora de polo no Projeto PROFAE, fui representante da escola na consultoria ao Ministério da Saúde quando este projeto abriu uma nova frente na qualificação de Auxiliares de Enfermagem para Técnicos em Enfermagem. Também assumi a coordenação do Curso Técnico em Enfermagem e das especializações em Centro Cirúrgico, Urgência e Emergência e Enfermagem do Trabalho.


Qual é a representatividade do dia da mulher para você?
Em todos estes anos trabalhei basicamente com mulheres e acompanhei alguns dramas de violência bem significativos. A enfermagem tem uma característica de juntar mulheres muito guerreiras com espirito forte de independência, isso é muito bom. Entretanto, quero salientar que sou ex-ativista da Fundação Walk Free e não podemos esquecer das mulheres que vivem na chamada escravidão moderna, como domésticas, escravas sexuais, trabalhos forçados, estima-se que 43 milhões de pessoas vivam nestas condições: homens e mulheres. E também precisamos seguir na luta pelas mulheres e meninas que sofrem da mutilação genital feminina, um absurdo em pleno século XXI. Serão 68 milhões de mulheres mutiladas até 2030. Precisamos levantar nossas vozes para combater esta tragédia, hoje é um dia de comemoração e também de lembrar que existem muitas lutas pela frente. Ficaria aqui citando mais outras situações de desigualdades, mas vamos ficar por aqui.


Qual a diferença entre a educação das mulheres que vc vê desde que entrou até hoje?
Penso que os pais andaram mimando em demasia seus filhos, os jovens de hoje, em sua maioria, não estão preparados para o mundo. Então, como escola, estamos ajudando estes jovens à amadurecerem emocionalmente e desenvolverem sua resiliência.
Tornarem-se profissionais preparados na parte técnica e emocional para ingressarem na vida profissional.

Qual seu momento mais marcante na ETCR?
A primeira sede era num prédio profissional, em 2008 mudamos para a sede própria com um auditório e pudemos realizar a primeira semana acadêmica da enfermagem com diversos palestrantes. Foi um sonho realizado!

 

A ETCR tem muito orgulho de acompanhar a história de pessoas que constroem a nossa história como instituição. Feliz Semana da Mulher à todas protagonistas de suas próprias histórias e colaboradoras de tantas outras!